quarta-feira, 4 de maio de 2011

Versos da Solidão

Semtimentos puros
banhados no escuro
arremessados ao muro
sem nenhuma razão

Dança a triste fada
sob a lua cansada
tão só e calada
imersa em ilusão

Menina suicida
corria aflita
de amor desprovida
agora num caixão

Esta humilde poeta
Não tão esperta
fica na espera
dos versos da solidão

Nenhum comentário:

Postar um comentário